O Desafio da Segurança Pública

Muito  se tem publicado sobre o tema, em geral, notícias que alarmam,  intranquilizam  e fazem com que os cidadãos de bem se sintam acuados, desamparados e à mercê dos, cada vez mais, ousados criminosos que infestam nossas cidades, rodovias, áreas de lazer e outrora pacatos povoados no interior. Tem sido frequente a divulgação de medidas adotadas pelo Estado, a meu ver, limitadas e restritas à compra de viaturas, de equipamentos e armamento para os órgãos relacionados no Art. 144 do texto constitucional. Parecem-me medidas com sabor de demagogia ao molho de populismo e que passam ao largo do cerne do sério problema enfrentado por todos os brasileiros, nas cidades e nos campos.

Por justiça, devo registrar a inovadora estratégia adotada pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro: ocupar, permanentemente, regiões de homizio de bandidos ligados ao crime organizado com unidades de Polícia Militar, apropriadamente batizadas de Polícia Pacificadora.

Contudo, pretendo demonstrar que a visão dos governantes e legisladores tem se limitado ao vetor policial de tão angustiante desafio. Estou convicto tratar-se este, apenas, de um dos múltiplos segmentos que precisam ser alvo imediato de atenção das autoridades eleitas para dar solução ao desafio da Segurança Pública que, por sua dimensão, assumiu status de legitimo objetivo nacional atual (ONA) de elevada prioridade.

Ao equacionar o problema e tentar dar-lhe solução, proponho abordagem ampla, profunda e simultânea, a começar pela educação em seu sentido mais amplo e indispensável. Educar sob os pontos de vista cognitivo, psicomotor e, notadamente, afetivo. Neste campo, desenvolver com os alunos, em todos os níveis da educação formal, valores indispensáveis aos cidadãos para a vida em sociedade. Educá-los para internalizar e valorizar a honestidade, o respeito, a solidariedade, a saúde e o repúdio às drogas, o civismo, o trabalho, a dedicação, o esforço pessoal, a prática da verdade, a família, a meritocracia e tantos outros valores que transformariam sucessivas gerações em construtoras do Brasil que almejamos.

É óbvio que, para tal, a educação receberia fortes investimentos em infraestrutura e preparo de docentes, habilitando-os cognitiva e afetivamente para serem exemplares educadores. Os currículos, em todas as disciplinas, contemplariam a abordagem dos aspectos afetivos da educação integral que aqui se propõe. Preparados para a vida em sociedade, cidadãos honestos não admitiriam ser corruptores ou corrompidos. Cidadãos assim educados repudiariam as drogas, e o tráfico ficaria sem seu sustentáculo, os consumidores. Haveria comércio sem demanda? Cidadãos conscientes de sua responsabilidade para com a Segurança Pública obedeceriam às leis de trânsito, preservariam o patrimônio público e privado, fiscalizariam e denunciariam criminosos de toda ordem. Sem pessoas integralmente educadas, não haverá solução.

À educação somam-se a geração e a oferta de trabalho como parte da solução do problema de Segurança Pública. As pessoas já educadas estariam preparadas para se dedicar de corpo e alma à construção nacional pelo suor de seu labor. Trabalhariam e galgariam por mérito, degrau a degrau, a escala funcional ou hierárquica do segmento profissional ao qual se dedicassem. Tais cidadãos valorizariam o respectivo salário e pagariam impostos e taxas por entenderem sua necessidade para o funcionamento pleno do Estado. Trabalhando, sentir-se-iam ofendidos e repudiariam esmolas governamentais de qualquer tipo ou origem. Brasileiros assim almejariam progredir, vencer na vida por seu próprio mérito e praticariam os valores que internalizaram.

Educar e oferecer trabalho ainda seriam pouco. A solução para o problema de Segurança Pública implica, também, investimentos substanciais em moradia. Um amplo programa residencial e indispensável para evitar a fixação definitiva de milhões de pessoas em favelas e palafitas, verdadeiras áreas de homizio do crime dito organizado. As pessoas educadas e com trabalho formal ansiariam por morar em bairros urbanizados, visualmente atraentes, com comercio local legalizado, servido de eficazes meios de transporte, limpos, bem iluminados e policiados. As residências e esses bairros seriam tais que qualquer governante nelas poderia morar com sua própria família e não algo de quinta ou décima categoria. Em decorrência, as áreas antes florestadas receberiam sua vegetação nativa de volta. Fenômeno idêntico ocorreria com as margens de rios, canais e praias, que estariam livres da agressão decorrente da ocupação irregular, insalubre e sem higiene. E o que dizer da poluição diária de baias, cursos de água e mares? A solução do desafio da Segurança Pública produziria reflexos, como se vê, na preparação do meio ambiente.

Entretanto, a solução não está completa. A ação dos Órgãos de Segurança Pública levaria aos cárceres todos os foras da lei que infestam nosso País, se condenados. É, pois, imprescindível, investir recursos públicos na construção de presídios para receberem a marginalidade condenada pela Justiça. Além de penitenciárias inexpugnáveis em número suficiente para a empreitada, o sistema prisional seria operado por agentes meticulosamente selecionados, preparados e instruídos para tal. Entende-se que seriam oriundos daquela sociedade educada, honesta, dedicada e, portanto, incorruptível, consciente do valor da contribuição que prestam à sociedade. Não mais se investiria em paliativos para as prisões atuais, mas em instalações modelares que fariam inveja a outros países. Os brasileiros que as operassem, em todos os níveis, da direção à carceragem, seriam instrutores de estrangeiros que aqui viriam aprender com os nacionais.

Educação + trabalho + moradia + extinção de áreas de homizio + reforma do sistema penitenciário = Segurança Pública que o País almeja e merece? Quase isto; está quase definida a equação que resolve o problema. Faltam outras parcelas imprescindíveis como todas as demais. Trata-se, agora, da reforma do Código de Processo Penal, além da do Código Penal, nesta prioridade. O primeiro tem facilitado aos criminosos recursos quase intermináveis e benefícios que facilitam sua saída antecipada dos cárceres sem o cumprimento das penas recebidas. Os noticiários estão repletos de fatos desta natureza. Imagine o leitor a perplexidade dos integrantes dos Órgãos de Segurança Pública ao verem em liberdade aqueles que ontem haviam sido presos e condenados. Este ângulo do problema, se não abordado simultaneamente com os demais, permite concluir pela quase certeza da impunidade: "Afinal, se serei posto em liberdade em breve... por que não cometer o crime?"

E o Código Penal? Proponho outra reflexão ao leitor: um policial encontra diariamente contraventores anotando apostas do jogo do bicho. O que fazer? Vista grossa? É honesto, regular, legal ou a lei não é para valer? E o que fazer com os consumidores de drogas, sem os quais a cadeia criminosa estaria rompida? Todos os elos deste ciclo "produtivo" têm que sentir a ação enérgica dos agentes do Estado. Atuar sobre plantio, refino, transporte, estocagem, distribuição, comercialização e consumo não é importante?

Em "O Monge e o Executivo" encontra-se sábio ensinamento. Lê-se que durante a vida, todos os homens devem fazer, sem exceção, duas coisas, a saber: morrer e escolher. Nesta abordagem sobre Segurança Pública cabe breve reflexão sobre escolhas. Aquelas pessoas a que me referi, educadas, honestas, trabalhadoras, exemplos e multiplicadoras de valores escolherão seus governantes e legisladores.

Discernir para selecioná-los entre os efetivamente comprometidos em enfrentar o desafio da Segurança Pública é essencial para a efetiva solução deste angustiante e diário problema com o qual todos se defrontam. Eleger bem, eis outra ação inalienável da solução do problema. Em consequência de escolha bem pensada, ter-se-á, também, legisladores aos quais manifestaremos admiração e sincero respeito. Veja leitor, como a sociedade educada desprezará e banirá os demagogos, populistas, mentirosos, corruptos e desonestos, preguiçosos, enganadores da palavra fácil e outros da igual estirpe. Que vitória!

Este variado naipe inclui os que enganam o povo ao acenar com o emprego das Forças Armadas em atividade de Segurança Pública. São os mesmos que enganam muitos com a frase demagógica "o Haiti é aqui". Para gente desta laia, aquelas pessoas educadas para a vida bradarão: profissionais não se improvisam! Isto sem falar que seria exercício ilegal de outra profissão. Enfatizo, pois, que as Forças Armadas não são parte da solução deste problema. Suas intervenções limitadas no tempo e no espaço, em ocasiões excepcionais, são operações militares de garantia da lei e da ordem, jamais ações de segurança pública.

Aproxima-se, agora sim, a solução completa. Apoiar, valorizar, dignificar, manifestar orgulho, aplaudir e investir permanentemente nas instituições relacionadas no Art. 144 da Constituição Federal completa a solução que proponho. Lembro que algumas delas, as polícias militares em especial, têm séculos de serviços prestados ao País, na paz, na guerra e em prol da ordem pública. Recordo que os integrantes de todas as instituições encarregadas da Segurança Pública arriscam suas vidas, diariamente, para minorar o quadro deprimente e vergonhoso que se instalou em nosso País. Quantos deles já foram sepultados por nos defender? E quantos perecerão ainda mais?

Em síntese, Segurança Pública é direito e, não esquecer, responsabilidade de todos. Há solução para este desafio, mas se trata de solução complexa, ampla, profunda e demorada. Mas, a demora será tanto maior quanto mais se retardar a abordagem do problema, simultaneamente, em todas as suas dimensões.

Sem mais paliativos! Não mais reduzir a solução apenas ao vetor policial. Não mais atribuir aos agentes policiais a responsabilidade pela omissão de tantos, pela corrupção de muitos e pela falta de coragem moral de vários. O desafio da Segurança Pública tem solução!


*Artigo publicado na Revista do Clube Militar - Edição 439, Jan 2011.

..

A Força Terrestre e o conceito de Segurança Integr...
A música militar e sua harmoniosa missão
 

Comentários 356

Visitantes - Sâmia Soares Maia em Quarta, 09 Agosto 2017 16:40

Excelentíssimo senhor general Paulo Cesar, sua publicação é sem dúvida o retrato do Brasil atual. Na minha opinião vivemos uma situação muito pior do que 1964, onde a corrupção política é como um câncer que está matando o brasileiro. Muitos já pereceram nas filas do SUS, por causa da violência urbana e do campo e por fome. Tudo, fruto das ações dos políticos que agem feito urubus em carniça. O povo brasileiro não aguenta mais enterrar seu entes queridos assassinados pelo fruto das ações de um governo comunista e de políticos macumunados com ele. Precisamos das FFAA, porque sabemos que tem amor verdadeiro à pátria, à nação brasileira. Queremos banir de nosso país essa impunidade, essa raça maldita de comunistas que estão acabando com nosso país, nosso povo. Precisamos e queremos a intervenção militar.

Excelentíssimo senhor general Paulo Cesar, sua publicação é sem dúvida o retrato do Brasil atual. Na minha opinião vivemos uma situação muito pior do que 1964, onde a corrupção política é como um câncer que está matando o brasileiro. Muitos já pereceram nas filas do SUS, por causa da violência urbana e do campo e por fome. Tudo, fruto das ações dos políticos que agem feito urubus em carniça. O povo brasileiro não aguenta mais enterrar seu entes queridos assassinados pelo fruto das ações de um governo comunista e de políticos macumunados com ele. Precisamos das FFAA, porque sabemos que tem amor verdadeiro à pátria, à nação brasileira. Queremos banir de nosso país essa impunidade, essa raça maldita de comunistas que estão acabando com nosso país, nosso povo. Precisamos e queremos a intervenção militar.
Visitantes - Gustavo Cardoso em Quarta, 09 Agosto 2017 15:50

Pelo amor de Deus. Será que não estão vendo que o Brasil está caminhando para o mesmo caminho da venezuela o qual os senhores das forças aramadas tb sofrerão?
Eles estão tentando enganar e vão rou ar nas urnas para colocar o Lula no poder e ele já disse que vai fazer o mesmo que na Venezuela. Acordem e façam uma intervenção no país para não virarmos uma ditadura comunista. Todos os brasileiros apoiam.

Pelo amor de Deus. Será que não estão vendo que o Brasil está caminhando para o mesmo caminho da venezuela o qual os senhores das forças aramadas tb sofrerão? Eles estão tentando enganar e vão rou ar nas urnas para colocar o Lula no poder e ele já disse que vai fazer o mesmo que na Venezuela. Acordem e façam uma intervenção no país para não virarmos uma ditadura comunista. Todos os brasileiros apoiam.
Visitantes - Sonia Aparecida Sardinha em Quarta, 09 Agosto 2017 15:44

Grata por me aceitar como visitante.
Sr. General, parabéns pelo texto.
Para tornar o que para esse momento o Brasil está evidenciando, só mesmo com uma INTERVENÇÃO MILITAR.
O povo está doutrinado e de joelhos ao governo que nos arrasta cada vez mais para um sistema comunista.
Aqueles que conseguem compreender o que está acontecendo não serão capazes de formar a multidão necessária para que as FFAA ajam , portanto, só o que nos resta é orar e continuar pretos frente à nossa Bandeira que , para mim, sempre será verde, amarela, azul e branca. Jamais me ajoelharei a bandeira nenhuma que seja comunista!!

Grata por me aceitar como visitante. Sr. General, parabéns pelo texto. Para tornar o que para esse momento o Brasil está evidenciando, só mesmo com uma INTERVENÇÃO MILITAR. O povo está doutrinado e de joelhos ao governo que nos arrasta cada vez mais para um sistema comunista. Aqueles que conseguem compreender o que está acontecendo não serão capazes de formar a multidão necessária para que as FFAA ajam , portanto, só o que nos resta é orar e continuar pretos frente à nossa Bandeira que , para mim, sempre será verde, amarela, azul e branca. Jamais me ajoelharei a bandeira nenhuma que seja comunista!!
Visitantes - Carlos Junqueira em Quarta, 09 Agosto 2017 15:32

Já estamos em Guerra a muito tempo. De um lado, o Exército de pessoas de bem, que paga os impostos a custo de muito trabalho. Do outro lado o exército chamado Governo. Corrupto, quadrilheiro, que desarmou a população para justamente como tática de guerra eliminar o inimigo. Estamos sofrendo calado e principalmente "DESAMPARADOS". O que podemos fazer diante de uma Quadrilha que vem sendo formada deste 1985??? Todos sabemos que se sairmos ás ruas, virão os Black Blocks para amedrontar. Só não vê quem não quer. De tanto bla bla bla, Hitler chegou onde chegou. Todos dias, 160 pessoas deixam de acreditar na salvação porque, são ASSASSINADAS. Enquanto pensam, somos eliminados.

Já estamos em Guerra a muito tempo. De um lado, o Exército de pessoas de bem, que paga os impostos a custo de muito trabalho. Do outro lado o exército chamado Governo. Corrupto, quadrilheiro, que desarmou a população para justamente como tática de guerra eliminar o inimigo. Estamos sofrendo calado e principalmente "DESAMPARADOS". O que podemos fazer diante de uma Quadrilha que vem sendo formada deste 1985??? Todos sabemos que se sairmos ás ruas, virão os Black Blocks para amedrontar. Só não vê quem não quer. De tanto bla bla bla, Hitler chegou onde chegou. Todos dias, 160 pessoas deixam de acreditar na salvação porque, são ASSASSINADAS. Enquanto pensam, somos eliminados.
Visitantes - Sonia Aparecida Sardinha em Quarta, 09 Agosto 2017 15:30

Prezado General

Li com muita satisfação seu texto.
Agradeço por nos oferecer a oportunidade de interagir de alguma maneira com o Exército Brasileiro.
Escrevi muitas coisas que estava sentindo e pensando sobre a reflexão que o texto me ofereceu, mas infelizmente não consegui enviar.
Sei que meu sonho de uma Intervenção Militar não se realizará, e portanto não poderei ver essa transformação que o Sr. expressa, pois somente com as FFAA no comando do Brasil, teríamos a oportunidade de fazer acontecer um novo Brasil.
Mesmo assim, continuo confiando no Exército e em todas as FFAA, aceitando como verdade que: O EXÉRCITO BRASILEIRO É O BRAÇO FORTE E A MÃO AMIGA!!!

Prezado General Li com muita satisfação seu texto. Agradeço por nos oferecer a oportunidade de interagir de alguma maneira com o Exército Brasileiro. Escrevi muitas coisas que estava sentindo e pensando sobre a reflexão que o texto me ofereceu, mas infelizmente não consegui enviar. Sei que meu sonho de uma Intervenção Militar não se realizará, e portanto não poderei ver essa transformação que o Sr. expressa, pois somente com as FFAA no comando do Brasil, teríamos a oportunidade de fazer acontecer um novo Brasil. Mesmo assim, continuo confiando no Exército e em todas as FFAA, aceitando como verdade que: O EXÉRCITO BRASILEIRO É O BRAÇO FORTE E A MÃO AMIGA!!!
Visitantes - Vera Schubert em Quarta, 09 Agosto 2017 15:18

Boa tarde!
Senhores, a maioria da população já não aguenta mas ligar sua televisão e só ver notícias de violência, corrupção, impunidades, aumentos de impostos, dinheiro esse que nunca é revertido para o povo e sim para cobrir luxo e mordomias dos políticos e seus familiares.
Somente os senhores para fazer o Brasil a ter novamente Ordem e Progresso.
Eu acredito e confio nos senhores!

Boa tarde! Senhores, a maioria da população já não aguenta mas ligar sua televisão e só ver notícias de violência, corrupção, impunidades, aumentos de impostos, dinheiro esse que nunca é revertido para o povo e sim para cobrir luxo e mordomias dos políticos e seus familiares. Somente os senhores para fazer o Brasil a ter novamente Ordem e Progresso. Eu acredito e confio nos senhores!
Visitantes - Alexandre S. Monteiro em Quarta, 09 Agosto 2017 14:34

Acho que já passou da hora de uma intervenção séria quanto a segurança pública! A verdade é que o ridículo estatuto do desarmamento só desarmou o cidadão que deseja adquirir uma arma legal, devidamente registrada. Esse cidadão foi desarmado, enquanto a criminalidade se armou a nível militar... O que mais impressiona no atual cenário, é a total banalização da situação. O número de brasileiros assassinados no mesmo período da guerra civil da Síria, é superior ao desta guerra! As facções criminosas do narcotráfico dominaram todo o país, cada cidade e a polícia é punida quando age. Hoje vejo muitos brasileiros e aí me incluo, que se pudessem, iriam embora do país sem olhar para trás. Precisamos fazer algo ou terminaremos muito mal! Somente uma intervenção militar tem o poder de frear essa situação.

Acho que já passou da hora de uma intervenção séria quanto a segurança pública! A verdade é que o ridículo estatuto do desarmamento só desarmou o cidadão que deseja adquirir uma arma legal, devidamente registrada. Esse cidadão foi desarmado, enquanto a criminalidade se armou a nível militar... O que mais impressiona no atual cenário, é a total banalização da situação. O número de brasileiros assassinados no mesmo período da guerra civil da Síria, é superior ao desta guerra! As facções criminosas do narcotráfico dominaram todo o país, cada cidade e a polícia é punida quando age. Hoje vejo muitos brasileiros e aí me incluo, que se pudessem, iriam embora do país sem olhar para trás. Precisamos fazer algo ou terminaremos muito mal! Somente uma intervenção militar tem o poder de frear essa situação.
Visitantes - Marcelo Medeiro dos Santos em Quarta, 09 Agosto 2017 14:26

Excelentíssimo Sr. General Paulo Cesar de Castro, parabéns pela matéria que está inserida completamente dentro das Forças Armadas e suas Auxiliares. Infelizmente, não tenho perspectivas pelos acontecimentos que estão ocorrendo em nosso país, os Senhores conhecem muito bem esse tema e vivem constantemente a ela. Para mim, cidadão comum, trabalhador, pagador de impostos como toda pessoa de bem neste país, que Deus me colocou para viver nele e agradeço por isso a cada dia, precisamos dos Senhores. Por isso a razão de estarmos clamando nas ruas, avenidas, a Intervenção Cívico Militar ou Intervenção Militar, (a interpretação fica livre), mas é isso que estamos clamando. Porque entendo que não há mais condição para o Brasil prosseguir com todo esse espírito corrupto nos 3 poderes. Sou mais um. brasileiro, pessoa comum como qualquer outra...Confio em Deus, em nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo e confio nas Forças Armadas Brasileiras do meu país. Obrigado

Excelentíssimo Sr. General Paulo Cesar de Castro, parabéns pela matéria que está inserida completamente dentro das Forças Armadas e suas Auxiliares. Infelizmente, não tenho perspectivas pelos acontecimentos que estão ocorrendo em nosso país, os Senhores conhecem muito bem esse tema e vivem constantemente a ela. Para mim, cidadão comum, trabalhador, pagador de impostos como toda pessoa de bem neste país, que Deus me colocou para viver nele e agradeço por isso a cada dia, precisamos dos Senhores. Por isso a razão de estarmos clamando nas ruas, avenidas, a Intervenção Cívico Militar ou Intervenção Militar, (a interpretação fica livre), mas é isso que estamos clamando. Porque entendo que não há mais condição para o Brasil prosseguir com todo esse espírito corrupto nos 3 poderes. Sou mais um. brasileiro, pessoa comum como qualquer outra...Confio em Deus, em nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo e confio nas Forças Armadas Brasileiras do meu país. Obrigado
Visitantes - Eliete Xavier em Quarta, 09 Agosto 2017 14:24

Para moralizar o Brasil novamente, só com as Forças Armadas. Estamos na iminência de ser um País comunista, tanto pelas mãos do Lula quanto pelas mãos do Temer.
A desordem que se instalou no Brasil é assustadora e eles estão seguindo direitinho a Cartilha Comunista: Irmãos contra irmãos, altos índices de criminalidade, apologia ao crime, às drogas, ao homossexualismo, à imoralidade, ao desrespeito a tudo e a todos, estão tomando formas gigantescas e precisam ser contidas.
A TV Globo, principalmente, é uma aberração, principalmente esse novela em horário nobre, escrita por uma psicopata comunista, onde faz apologia a tudo que é imoral e ilegal, fazendo crer aos jovens de hoje, que é tudo normal e aceitável. Fora a inversão de valores que estão sendo mostradas, onde bandido é herói e policial é bandido.
As empresas estão desesperadas com o comportamento dos jovens funcionários, tendo que dar cursos e palestras para colocá-los a par do que é certo e errado dentro da empresa, pois a liberdade e a libertinagem, para eles, é normal em qualquer lugar.
O Governo Militar precisa voltar, para colocar ordem novamente no Brasil! Nas escolas é necessária a volta da disciplina de EMC e a volta do Hino Nacional. cantando todos os dias antes das aulas, para que tenham amor à Pátria!

Para moralizar o Brasil novamente, só com as Forças Armadas. Estamos na iminência de ser um País comunista, tanto pelas mãos do Lula quanto pelas mãos do Temer. A desordem que se instalou no Brasil é assustadora e eles estão seguindo direitinho a Cartilha Comunista: Irmãos contra irmãos, altos índices de criminalidade, apologia ao crime, às drogas, ao homossexualismo, à imoralidade, ao desrespeito a tudo e a todos, estão tomando formas gigantescas e precisam ser contidas. A TV Globo, principalmente, é uma aberração, principalmente esse novela em horário nobre, escrita por uma psicopata comunista, onde faz apologia a tudo que é imoral e ilegal, fazendo crer aos jovens de hoje, que é tudo normal e aceitável. Fora a inversão de valores que estão sendo mostradas, onde bandido é herói e policial é bandido. As empresas estão desesperadas com o comportamento dos jovens funcionários, tendo que dar cursos e palestras para colocá-los a par do que é certo e errado dentro da empresa, pois a liberdade e a libertinagem, para eles, é normal em qualquer lugar. O Governo Militar precisa voltar, para colocar ordem novamente no Brasil! Nas escolas é necessária a volta da disciplina de EMC e a volta do Hino Nacional. cantando todos os dias antes das aulas, para que tenham amor à Pátria!
Visitantes - Marcelo em Quarta, 09 Agosto 2017 14:15

Senhores generais até quando vcs vão ficar de braços cruzados vendo o país se afundando em tanta corrupção façam algo deixem de serem frouxos e tomem a rédea desse país

Senhores generais até quando vcs vão ficar de braços cruzados vendo o país se afundando em tanta corrupção façam algo deixem de serem frouxos e tomem a rédea desse país
Visitantes - sergio em Quarta, 09 Agosto 2017 14:11

Boa tarde
Nasci e vive durante o regime democratico militar.
Passei a me interessar pela política faz alguns anos, e já entendi desde a contra-revolução de 64 até os acontecimentos atuais.
O cenário geopolítico atual e extremamente complexo.
A maioria dos brasileiros não se deram conta do que está acontecendo no Brasil e no mundo.
Acham que a violência que ocorre hoje, principalmente no RJ é um fato local e isolado.
Não se dão conta de que fz parte de um planejamento de longa data para tomada de poder.
Ligam a TV e olham o que ocorre na Venezuela, mas muitos não se dão conta da ligação do que ocorre lá e que ainda predendem fazer aqui.
Confesso que estou pensando em ir embora do Brasil, pois uma andorinha não faz verão.
Seria capaz de me apresentar voluntariamente para caçar esses ratos que infestam brasilia.
O problema é que a massa crítica que vocês esperam, só vai se formar quando chegar a fome.
Até lá com o arrocho do governo as FFAA seram reduzidas a pó.
Acredito que assim como eu, muitos estão bem perdidos, pois a mídia é contra o povo e não passa informação verdadeira.
Os militares da ativa estão dando sinais ao povo.
Mas acho que as FFAA vão ter que ações mais agressivas contra esses criminosos políticos.
Desde as urnas eletronicas, não sabemos se quem entra é por vontade do povo, creio que não.
Continuam depositando as esperanças nas FFAA, pois a maioria de nós não temos armas.
Acredito que o combate ao crime organizado pra ser efetivo, tem que começar por Brasília.
Derrubando o crime organizado de lá, o resto cai.
Um fraterno abraço.
(sigo os Patriotas do Brasil)

Boa tarde Nasci e vive durante o regime democratico militar. Passei a me interessar pela política faz alguns anos, e já entendi desde a contra-revolução de 64 até os acontecimentos atuais. O cenário geopolítico atual e extremamente complexo. A maioria dos brasileiros não se deram conta do que está acontecendo no Brasil e no mundo. Acham que a violência que ocorre hoje, principalmente no RJ é um fato local e isolado. Não se dão conta de que fz parte de um planejamento de longa data para tomada de poder. Ligam a TV e olham o que ocorre na Venezuela, mas muitos não se dão conta da ligação do que ocorre lá e que ainda predendem fazer aqui. Confesso que estou pensando em ir embora do Brasil, pois uma andorinha não faz verão. Seria capaz de me apresentar voluntariamente para caçar esses ratos que infestam brasilia. O problema é que a massa crítica que vocês esperam, só vai se formar quando chegar a fome. Até lá com o arrocho do governo as FFAA seram reduzidas a pó. Acredito que assim como eu, muitos estão bem perdidos, pois a mídia é contra o povo e não passa informação verdadeira. Os militares da ativa estão dando sinais ao povo. Mas acho que as FFAA vão ter que ações mais agressivas contra esses criminosos políticos. Desde as urnas eletronicas, não sabemos se quem entra é por vontade do povo, creio que não. Continuam depositando as esperanças nas FFAA, pois a maioria de nós não temos armas. Acredito que o combate ao crime organizado pra ser efetivo, tem que começar por Brasília. Derrubando o crime organizado de lá, o resto cai. Um fraterno abraço. (sigo os Patriotas do Brasil)
Visitantes - josé dos Santos em Quarta, 09 Agosto 2017 17:58

Nós brasileiros de bem, trabalhadores e prósperos fomos enganados nos anos 80, com uma farsa pregada por pessoas má intencionadas, na cabeça dos adolescentes, que seria a igualdade dos cidadãos. Agora com mais experiência, vejo que isso é uma grande mentira, ate porque nós humanos somos diferentes, na capacidade física, mental, intelectual e social, enfim em todos os aspectos, nós somos diferentes. Analisando a situação que os governos militares pegaram o Brasil em 1964 e o que foi feito pelo país em 20 anos, fazendo um paralelo entre esse período e os últimos 30 anos, posso afirmar com o uso da razão que o Brasil retroagiu mais de 50 anos. Então agora vejo que não tem outra saída para o Brasil, senão uma intervenção militar . Só assim poderemos reorganizar o nosso querido Brasil. reorganizar não apenas a segurança pública, mas sim todas as áreas da administração pública do nosso país.

Nós brasileiros de bem, trabalhadores e prósperos fomos enganados nos anos 80, com uma farsa pregada por pessoas má intencionadas, na cabeça dos adolescentes, que seria a igualdade dos cidadãos. Agora com mais experiência, vejo que isso é uma grande mentira, ate porque nós humanos somos diferentes, na capacidade física, mental, intelectual e social, enfim em todos os aspectos, nós somos diferentes. Analisando a situação que os governos militares pegaram o Brasil em 1964 e o que foi feito pelo país em 20 anos, fazendo um paralelo entre esse período e os últimos 30 anos, posso afirmar com o uso da razão que o Brasil retroagiu mais de 50 anos. Então agora vejo que não tem outra saída para o Brasil, senão uma intervenção militar . Só assim poderemos reorganizar o nosso querido Brasil. reorganizar não apenas a segurança pública, mas sim todas as áreas da administração pública do nosso país.
Visitantes - Zilda Lopes Barcellos em Quarta, 09 Agosto 2017 14:01

Eu aguardo ansiosamente por uma intervenção Militar. Não aguento mais ver tanta roubalheira.

Eu aguardo ansiosamente por uma intervenção Militar. Não aguento mais ver tanta roubalheira.
Visitantes - Acorda Brasil em Quarta, 09 Agosto 2017 13:49

Por Dr. Antônio José Ribas Paiva -

INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL.

EXISTE uma confusão conceitual sobre o que seja INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL.
Alguns imaginam que seja uma ação militar, outros, que seria um golpe. Nada disso procede, porque o Exército, o Congresso e a Presidência da República não são fins em si mesmos, mas apenas instrumentos da Nação, que os instituiu.
Exercer o “Republicanismo” é difícil, principalmente, pelos agentes públicos, que exercem o poder, porque existe uma tendência NATURAL de personalizarem o poder dos cargos.
Amiúde, confundem o que devem fazer em razão do cargo, com o que gostariam de fazer, por simpatia, crença religiosa ou convicção ideológica.
Recentes declarações de chefes militares, negando que haja necessidade de intervenção constitucional, evidenciam essa tendência de personalizarem o múnus que exercem.
Do ponto de VISTA Republicano as Forças Armadas não são parte no processo, mas apenas instrumentos da Nação, e é assim, que os seus membros devem colocar-se: como garantidores das necessidades de segurança e cidadania da Nação.
A INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL, prevista no ART.142 da Constituição Federal, não é intervenção militar; é intervenção da Nação nas suas instituições, através de um de seus instrumentos institucionais: o Exército, objetivando eventuais correções de rumo ou aprimoramento institucional.
Quando deve ocorrer a INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL?
Sempre que os Poderes Constitucionais precisarem de socorro, em razão de omissões ou ilegalidades praticadas por seus dirigentes.
No episódio do escândalo de compra de parlamentares pelo Executivo Federal, com dinheiro público desviado, que denominaram Mensalão, já se fez PRESENTE a necessidade de INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL, da Nação nas suas instituições.
Por essa ou por aquela razão, naquele momento, não ocorreu a necessária INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL.
Foram trágicas as conseqüências do descumprimento da norma constitucional! Os prejuízos para os brasileiros, em razão daquela omissão são irreparáveis.
Sem a INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL, naquela época, o desvio de dinheiro público continuou ocorrendo e se acentuou, a ponto da CLASSE política, por omissão e por comissão, depauperar a Petrobras, a Eletrobrás e rapinar todos os projetos nacionais.
Tudo isso, agora, veio a lume, está em todos os jornais e revistas, com nome, sobrenome e endereço de todos os peculatários.
Alguns dos peculatários, que apelaram para o beneficio da delação premiada, já declararam o envolvimento do ex presidente Lula e o da atual presidente da República, desde a época em que era ministra da Casa Civil e presidente do conselho da Petrobras. Um dos delatores afirmou, categoricamente, que parte do dinheiro obtido com o CRIME de peculato, financiou várias campanhas políticas, inclusive a da presidente Dilma, em 2010.
Resta fazer a pergunta, que não quer calar:
Estão PRESENTES os pressupostos para a intervenção constitucional da sociedade, através de seus instrumentos, em defesa dos Poderes Constitucionais?
Por analogia, quando é chamada a polícia, ela age em nome próprio ou da sociedade? Os policiais podem negar-se a intervir, para impedir a prática de delitos?
A resposta a esses quesitos esclarece a questão e, impõe a INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL DA NAÇÃO, com fundamento no ART 142 da Carta Magna. Intervenção, que já se faz tardia, porque DEMOCRACIA É SEGURANÇA DO DIREITO, individual e coletivo e, essa essência do homem evoluído, não pode ser posta em risco pelo governo do crime organizado. Cumpre à sociedade intervir, para impor a lei!
Tivesse a INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL ocorrido em 2005 e agora, em 2014, a economia e os projetos e empresas nacionais não teriam sido saqueados pelo ilegítimo poder vigente. Esses CRIMES ocorreram porque os mecanismos democráticos institucionais falharam; agora, compete à nação corrigir os desvios e punir os culpados.
Resta chamar a polícia.
INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL JÁ!!!
Dr Antonio José Ribas Paiva

Por Dr. Antônio José Ribas Paiva - INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL. EXISTE uma confusão conceitual sobre o que seja INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL. Alguns imaginam que seja uma ação militar, outros, que seria um golpe. Nada disso procede, porque o Exército, o Congresso e a Presidência da República não são fins em si mesmos, mas apenas instrumentos da Nação, que os instituiu. Exercer o “Republicanismo” é difícil, principalmente, pelos agentes públicos, que exercem o poder, porque existe uma tendência NATURAL de personalizarem o poder dos cargos. Amiúde, confundem o que devem fazer em razão do cargo, com o que gostariam de fazer, por simpatia, crença religiosa ou convicção ideológica. Recentes declarações de chefes militares, negando que haja necessidade de intervenção constitucional, evidenciam essa tendência de personalizarem o múnus que exercem. Do ponto de VISTA Republicano as Forças Armadas não são parte no processo, mas apenas instrumentos da Nação, e é assim, que os seus membros devem colocar-se: como garantidores das necessidades de segurança e cidadania da Nação. A INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL, prevista no ART.142 da Constituição Federal, não é intervenção militar; é intervenção da Nação nas suas instituições, através de um de seus instrumentos institucionais: o Exército, objetivando eventuais correções de rumo ou aprimoramento institucional. Quando deve ocorrer a INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL? Sempre que os Poderes Constitucionais precisarem de socorro, em razão de omissões ou ilegalidades praticadas por seus dirigentes. No episódio do escândalo de compra de parlamentares pelo Executivo Federal, com dinheiro público desviado, que denominaram Mensalão, já se fez PRESENTE a necessidade de INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL, da Nação nas suas instituições. Por essa ou por aquela razão, naquele momento, não ocorreu a necessária INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL. Foram trágicas as conseqüências do descumprimento da norma constitucional! Os prejuízos para os brasileiros, em razão daquela omissão são irreparáveis. Sem a INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL, naquela época, o desvio de dinheiro público continuou ocorrendo e se acentuou, a ponto da CLASSE política, por omissão e por comissão, depauperar a Petrobras, a Eletrobrás e rapinar todos os projetos nacionais. Tudo isso, agora, veio a lume, está em todos os jornais e revistas, com nome, sobrenome e endereço de todos os peculatários. Alguns dos peculatários, que apelaram para o beneficio da delação premiada, já declararam o envolvimento do ex presidente Lula e o da atual presidente da República, desde a época em que era ministra da Casa Civil e presidente do conselho da Petrobras. Um dos delatores afirmou, categoricamente, que parte do dinheiro obtido com o CRIME de peculato, financiou várias campanhas políticas, inclusive a da presidente Dilma, em 2010. Resta fazer a pergunta, que não quer calar: Estão PRESENTES os pressupostos para a intervenção constitucional da sociedade, através de seus instrumentos, em defesa dos Poderes Constitucionais? Por analogia, quando é chamada a polícia, ela age em nome próprio ou da sociedade? Os policiais podem negar-se a intervir, para impedir a prática de delitos? A resposta a esses quesitos esclarece a questão e, impõe a INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL DA NAÇÃO, com fundamento no ART 142 da Carta Magna. Intervenção, que já se faz tardia, porque DEMOCRACIA É SEGURANÇA DO DIREITO, individual e coletivo e, essa essência do homem evoluído, não pode ser posta em risco pelo governo do crime organizado. Cumpre à sociedade intervir, para impor a lei! Tivesse a INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL ocorrido em 2005 e agora, em 2014, a economia e os projetos e empresas nacionais não teriam sido saqueados pelo ilegítimo poder vigente. Esses CRIMES ocorreram porque os mecanismos democráticos institucionais falharam; agora, compete à nação corrigir os desvios e punir os culpados. Resta chamar a polícia. INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL JÁ!!! Dr Antonio José Ribas Paiva
Visitantes - Elesi F em Quarta, 09 Agosto 2017 13:47

VOCAÇÃO PARA A GLÓRIA

''Em potências do chamado " primeiro mundo ", os jovens que escolhem as carreiras das armas vão em busca de glória, porque o heroísmo é a essência dos impérios.
Nos países periféricos ou , "em desenvolvimento", há uma cultura de sobrevivência a qualquer preço, inclusive da honra. É por isso, que sair do terceiro mundo é tão difícil ! Todo mundo quer bater, mas ninguém se arrisca a levar um tapa.
Nesses países, a glória ficou na historia, ninguém imagina que a preservação do que temos e a construção do futuro, dependem de sacrifícios individuais e coletivos , de enfrentamento do mal.
A omissão virou " cultura" no terceiro mundo. Os jovens quando escolhem as carreiras das armas vão em busca de prestígio, estabilidade e segurança, esquecendo-se , que da glória da sua profissão dependem o presente e o futuro da Nação, que os formou e sustenta.
Por tudo isso, explica-se o inferno vivido pelos venezuelanos e outros povos tiranizados, onde as armas defendem a caneta e não a liberdade do povo.
Qualquer semelhança com o cenário brasileiro é mera coincidência!!!''

INTERVENÇÃO INSTITUCIONAL JÁ!!! INDEPENDÊNCIA OU MORTE!
(A.J.Ribas Paiva)

INTERVENÇÃO IMPOSITIVA

EM 1964 o debate, no Brasil e no mundo, era ideológico,porém, com traço moral , porque, presumivelmente, ambos os lados tinham boas intenções. Chegava a ser religioso,
Hoje, com o governo do crime, não há debate possível, porque o ambiente do Poder é de amoralidade, onde a razão não se opera e, muito menos, a honestidade intelectual.
É como querer convencer o Al Capone a não roubar na roleta!
Por tudo isso, os defensores da solução político-partidária vão continuar enxugando gelo, e estarão na desconfortável posição de coniventes , com a escravidão e a exploração do povo.
A INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL é impositiva, porque qualquer regime político é mera concessão do Poder armado.
Essa "Nova República " foi parida por Geisel , Figueiredo e viabilizada, por Leônidas Pires Gonçalves, então ministro do Exército, que empossou o Sarney.
Resta às FFAA corrigirem o erro que cometeram, de entregar o Brasil para o crime, em 1985. Como?? Simplesmente cumprindo
sua DESTINAÇÃO CONSTITUCIONAL de defender a Pátria, contra os inimigos internos e externos e, até a Nação de si mesma, quando equivocada.
BRASIL! Acima de tudo !!!
(AJ.Ribas Paiva)

VOCAÇÃO PARA A GLÓRIA ''Em potências do chamado " primeiro mundo ", os jovens que escolhem as carreiras das armas vão em busca de glória, porque o heroísmo é a essência dos impérios. Nos países periféricos ou , "em desenvolvimento", há uma cultura de sobrevivência a qualquer preço, inclusive da honra. É por isso, que sair do terceiro mundo é tão difícil ! Todo mundo quer bater, mas ninguém se arrisca a levar um tapa. Nesses países, a glória ficou na historia, ninguém imagina que a preservação do que temos e a construção do futuro, dependem de sacrifícios individuais e coletivos , de enfrentamento do mal. A omissão virou " cultura" no terceiro mundo. Os jovens quando escolhem as carreiras das armas vão em busca de prestígio, estabilidade e segurança, esquecendo-se , que da glória da sua profissão dependem o presente e o futuro da Nação, que os formou e sustenta. Por tudo isso, explica-se o inferno vivido pelos venezuelanos e outros povos tiranizados, onde as armas defendem a caneta e não a liberdade do povo. Qualquer semelhança com o cenário brasileiro é mera coincidência!!!'' INTERVENÇÃO INSTITUCIONAL JÁ!!! INDEPENDÊNCIA OU MORTE! (A.J.Ribas Paiva) INTERVENÇÃO IMPOSITIVA EM 1964 o debate, no Brasil e no mundo, era ideológico,porém, com traço moral , porque, presumivelmente, ambos os lados tinham boas intenções. Chegava a ser religioso, Hoje, com o governo do crime, não há debate possível, porque o ambiente do Poder é de amoralidade, onde a razão não se opera e, muito menos, a honestidade intelectual. É como querer convencer o Al Capone a não roubar na roleta! Por tudo isso, os defensores da solução político-partidária vão continuar enxugando gelo, e estarão na desconfortável posição de coniventes , com a escravidão e a exploração do povo. A INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL é impositiva, porque qualquer regime político é mera concessão do Poder armado. Essa "Nova República " foi parida por Geisel , Figueiredo e viabilizada, por Leônidas Pires Gonçalves, então ministro do Exército, que empossou o Sarney. Resta às FFAA corrigirem o erro que cometeram, de entregar o Brasil para o crime, em 1985. Como?? Simplesmente cumprindo sua DESTINAÇÃO CONSTITUCIONAL de defender a Pátria, contra os inimigos internos e externos e, até a Nação de si mesma, quando equivocada. BRASIL! Acima de tudo !!! (AJ.Ribas Paiva)
Visitantes - Lúcio Sátiro Pinheiro em Quarta, 09 Agosto 2017 13:41

Sem sombra de duvidas, é hora de o Exército agir. Não apenas enquanto militares, mas também enquanto cidadãos. O Brasil também é de vocês. Militares são pais, tem filhos, esposas, muitos militares tem ainda seus pais. E aí eu pergunto: ficaremos nós, os homens bons, responsáveis, cidadãos, nós que jamais agimos para prejudicar ou machucar o nosso próximo; que somos igualmente bons filhos, bons trabalhadores. Pois bem. Deixaremos nós, os homens corretos, que o nosso país seja destruído por uma turba com imensa sanha por poder e dinheiro, que não se contentando em enriquecer ilicitamente, querem atacar a dignidade de nossas crianças com ideologia de gênero, escravizar nossa juventude com apologia às drogas, atacar e inverter nossos valores que alicerçaram e deram estabilidade à nossa sociedade por séculos ?
Cruzaremos os braços, numa passividade covarde, bancando de legalistas, só para "ficar bem na fita" ? Quem são os que irão nos julgar ?
quem são os que irão vitimizar-se, nos atacando de promover "ditadura militar" ? Ora, não são os mesmos que foram presos/processados tanto nos governos militares, quanto no atual sistema político ? Haveremos de temer o julgamento de tais bandidos ? O que acontecerá se os bons se calarem ?Não seriam esses esquerdistas tarados os que deveriam nos dar explicações a nós, o povo ?

Sem sombra de duvidas, é hora de o Exército agir. Não apenas enquanto militares, mas também enquanto cidadãos. O Brasil também é de vocês. Militares são pais, tem filhos, esposas, muitos militares tem ainda seus pais. E aí eu pergunto: ficaremos nós, os homens bons, responsáveis, cidadãos, nós que jamais agimos para prejudicar ou machucar o nosso próximo; que somos igualmente bons filhos, bons trabalhadores. Pois bem. Deixaremos nós, os homens corretos, que o nosso país seja destruído por uma turba com imensa sanha por poder e dinheiro, que não se contentando em enriquecer ilicitamente, querem atacar a dignidade de nossas crianças com ideologia de gênero, escravizar nossa juventude com apologia às drogas, atacar e inverter nossos valores que alicerçaram e deram estabilidade à nossa sociedade por séculos ? Cruzaremos os braços, numa passividade covarde, bancando de legalistas, só para "ficar bem na fita" ? Quem são os que irão nos julgar ? quem são os que irão vitimizar-se, nos atacando de promover "ditadura militar" ? Ora, não são os mesmos que foram presos/processados tanto nos governos militares, quanto no atual sistema político ? Haveremos de temer o julgamento de tais bandidos ? O que acontecerá se os bons se calarem ?Não seriam esses esquerdistas tarados os que deveriam nos dar explicações a nós, o povo ?
Visitantes - Jair em Quarta, 09 Agosto 2017 13:41

Não aguentamos mais essa corrupções no Brasil intervenção ja

Não aguentamos mais essa corrupções no Brasil intervenção ja
Visitantes - Aristóteles Matos Bratalha em Quarta, 09 Agosto 2017 13:37

As vezes eu fecho os olhos e vejo a cúpula de marqueteiros do governo tramando uma forma de desviar a atenção das suas medidas impopulares, tendo como a mais gritante delas o aumento do ICMS sobre os combustíveis. Vejo eles estudando a melhor forma de arrancar as últimas "gotas de leite da vaca" sem levar um coice., quando de repente surge a maquiavélica ideia de usar de um instrumento constitucional muito discutido e enaltecido como a única salvação para o país; o artigo 142. Vejo eles argumentando a forma de ludibriar a mente do povo usando dos seus maiores anseios aliado ao medos. Nada melhor que "combater o crime e levar segurança àqueles pobres diabos do RJ". RJ não por um acaso, já que todo o país se encontra em um estado de calamidade na segurança; mas pelo fato de ser um símbolo. Algo que vai repercutir midiaticamente no país e no mundo. O governo se preocupa com seu povo e está usando todos os meios possíveis para restabelecer a ordem e garantir segurança do mesmo. É evidente que isso é um engodo. Uma manobra puramente política, e que o exército está fazendo papel de bobo em detrimento aos recursos financeiros do povo.
Eu não agüento mais pagar impostos. O povo não agüenta mais. Ainda mais sabendo que não terá retorno algum, com a nossa divida pública aumentando a cada ano " beirando a casa dos 4trilhões", vai chegar uma hora que esse país irá colapsar. Eu também não agüento mais votar e ver as coisas piorarem a cada ano. Vocês têm que tomar uma providência em relação a isso. Fechem o Congresso, decalarem estado de sítio, sei lá. Do jeito que está não dá mais para suportar.
Escrevo de Arari-MA e quero intervenção militar.

As vezes eu fecho os olhos e vejo a cúpula de marqueteiros do governo tramando uma forma de desviar a atenção das suas medidas impopulares, tendo como a mais gritante delas o aumento do ICMS sobre os combustíveis. Vejo eles estudando a melhor forma de arrancar as últimas "gotas de leite da vaca" sem levar um coice., quando de repente surge a maquiavélica ideia de usar de um instrumento constitucional muito discutido e enaltecido como a única salvação para o país; o artigo 142. Vejo eles argumentando a forma de ludibriar a mente do povo usando dos seus maiores anseios aliado ao medos. Nada melhor que "combater o crime e levar segurança àqueles pobres diabos do RJ". RJ não por um acaso, já que todo o país se encontra em um estado de calamidade na segurança; mas pelo fato de ser um símbolo. Algo que vai repercutir midiaticamente no país e no mundo. O governo se preocupa com seu povo e está usando todos os meios possíveis para restabelecer a ordem e garantir segurança do mesmo. É evidente que isso é um engodo. Uma manobra puramente política, e que o exército está fazendo papel de bobo em detrimento aos recursos financeiros do povo. Eu não agüento mais pagar impostos. O povo não agüenta mais. Ainda mais sabendo que não terá retorno algum, com a nossa divida pública aumentando a cada ano " beirando a casa dos 4trilhões", vai chegar uma hora que esse país irá colapsar. Eu também não agüento mais votar e ver as coisas piorarem a cada ano. Vocês têm que tomar uma providência em relação a isso. Fechem o Congresso, decalarem estado de sítio, sei lá. Do jeito que está não dá mais para suportar. Escrevo de Arari-MA e quero intervenção militar.
Visitantes - Delmo em Quarta, 09 Agosto 2017 13:18

Um país forte é forte por respeito e eu ainda um guri de 50 anos sinto falta do respeito que meus pais sntiam pela nação em seu tempo, prefiro as FFAA do que essa corja denegrindo nosso rico e ao mesmo tempo pobre Brasil..... Socorro generais !!!!

Um país forte é forte por respeito e eu ainda um guri de 50 anos sinto falta do respeito que meus pais sntiam pela nação em seu tempo, prefiro as FFAA do que essa corja denegrindo nosso rico e ao mesmo tempo pobre Brasil..... Socorro generais !!!!
Visitantes - jOSUE DE OIVEIRA JULIO em Quarta, 09 Agosto 2017 12:45

Sr General Paulo Cesar venho por meio desta perguntar qual a atribuição do exercito não seria para defender o pais de ameaças externas e internas estamos presenciando a ameaça interna no dia a dia o povo sangrando nas ruas politicos legislando em causa própria um supremo tribunal contaminado pela corrupção . eu creio que uma intervenção militar provissoria traria ao povo segurança de as leis seria aplicada a todos garantiria uma reforma politica que atende-se ao clamor popular a aprovação das 10 medidas contra a corrupção a hora e esta ou quem sabe esperemos um salvador da patria.

Sr General Paulo Cesar venho por meio desta perguntar qual a atribuição do exercito não seria para defender o pais de ameaças externas e internas estamos presenciando a ameaça interna no dia a dia o povo sangrando nas ruas politicos legislando em causa própria um supremo tribunal contaminado pela corrupção . eu creio que uma intervenção militar provissoria traria ao povo segurança de as leis seria aplicada a todos garantiria uma reforma politica que atende-se ao clamor popular a aprovação das 10 medidas contra a corrupção a hora e esta ou quem sabe esperemos um salvador da patria.
Visitantes
Segunda, 21 Agosto 2017

Imagem do Captcha