Redução dos índices de criminalidade no Rio de Janeiro: um importante legado para a sociedade

Uma breve análise dos indicadores de criminalidade do Estado do Rio de Janeiro permite afirmar que houve queda dos índices quando comparados aos resultados obtidos no mesmo mês do ano passado ou aos resultados alcançados no mês anterior do corrente ano.


Podemos afirmar que está havendo uma melhora sensível e gradativa na qualidade de vida e na sensação de segurança vivenciada pelo cidadão fluminense. As ações que vêm sendo desencadeadas, desde o início do ano, estão contribuindo de forma sistemática e fundamental para a mudança do cenário existente. Elas possibilitaram a reestruturação da Polícia Militar e da Polícia Civil, o emprego integrado de diferentes abordagens da atividade de inteligência e uma melhor interação com outras instituições que apoiam a segurança pública no Rio de Janeiro (Forças Armadas, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, etc.).


Devemos entender que as ações desencadeadas não exercem influência direta somente sobre um indicador ou uma área específica. Elas reverberam nos outros índices e no Estado de uma maneira geral, alterando de forma significativa a percepção de segurança no dia a dia da população. Quando são iniciadas ações para combater o tráfico de drogas em algumas áreas, são sentidos reflexos nos índices de roubo de veículos, de cargas, etc. Portanto, podemos afirmar que os resultados alcançados e comprovados pela redução dos índices de criminalidade refletem as boas práticas e condutas adotadas desde o início do ano.


No mês de setembro, o indicador latrocínio teve uma queda de 8,3% em comparação ao mês de setembro do ano passado (e uma queda de 15,4% em relação ao mês de agosto). O indicador roubo de carga teve uma redução de aproximadamente 15% em relação ao ano anterior, ficando abaixo de 600 pela primeira vez desde setembro de 2015 (com exceção do mês de fevereiro de 2017, afetado pela subnotificação em decorrência da paralisação dos policiais civis ocorrida naquele período). O indicador roubo a estabelecimento comercial sofreu uma redução de 13,6%, seguido pela queda dos indicadores roubo de rua (redução de 8,2%), homicídio doloso (redução de 17%) e roubo de veículos (redução de 6%), assim como de diversos outros indicadores.


Um dos poucos indicadores que apresentaram resultados desfavoráveis, com uma leve alta, foi o de morte decorrente de intervenção policial. Uma análise mais detalhada desse indicador e das causas que levaram ao seu aumento nem sempre pode ser verificada de forma racional, pois algumas atitudes criminosas beiram a insanidade, não podendo ser explicadas ou mesmo entendidas. Podemos citar como exemplo o caso em uma das operações integradas quando criminosos, cercados por 4.200 homens, 20 blindados e 3 aeronaves, se recusaram a aceitar a rendição oferecida, partindo para um confronto em meio à população civil inocente. Entretanto, se não fossem as medidas adotadas para reestruturar e melhorar a qualidade e a capacidade das forças de segurança, os resultados poderiam ter sido muito mais trágicos.


A análise dos indicadores e a comparação trimestral na margem, entre o terceiro e o segundo trimestres deste ano, também mostraram queda de quase todos os delitos. Os resultados obtidos e o retorno que temos recebido de boa parcela da população demonstram que estamos indo na direção correta, reduzindo os índices de criminalidade e contribuindo para a melhoria da sensação de bem-estar e segurança da sociedade.

A manipulação do discurso
Brasil e Chile: Exércitos alinhados na comunicação

Posts Relacionados

 

Comentários 5

Visitantes - Novo de Mesquita Cordeiro em Sexta, 09 Novembro 2018 07:41

Parabéns Maj Pierre, trabalho que mostra a importância e os benefícios da integração das polícias com as Forças Armadas para segurança da sofrida população carioca.

Parabéns Maj Pierre, trabalho que mostra a importância e os benefícios da integração das polícias com as Forças Armadas para segurança da sofrida população carioca.
Visitantes - Ricardo Horta em Terça, 30 Outubro 2018 11:20

Muito bom

Muito bom
Visitantes - Márcio Martins em Segunda, 29 Outubro 2018 02:15

E assim termina a eleição do fim do mundo, ou terceiro mundo, como queira-se. O resultado como esperado, não desmentiu desta vez, as pesquisas de opiniões feitas por diversas fontes conhecidas. O pronunciamento do candidato eleito foi notável no sentido de unificar, pacificar e atender aos anseios de todos os brasileiros, igualmente, sem aquela história do nós e eles. Aliás, nem deveria ser diferente, pois um presidente tem de governar para todos igualmente, vencedores e vencidos. Uma resolução da ONU trata desse assunto bem elucidado. Na fala do candidato eleito, direto de sua residência, uma presença indispensável não foi vista nas imagens televisivas: o vice Hamilton Mourão ao lado do presidente eleito, posso até estar enganado. Pelo lado do candidato vencido, a vice-candidata se destacava aos beijos com uma criança no colo, deveria ter feito isso durante a campanha para desmistificar a sua imagem depreciada por opositores. O candidato derrotado infelizmente continua em sua pré-potência desnecessária. Pela provocação cometida ao eleito, ao chama-lo de “soldadinho de araque”, bem que merecia também ser chamado de “professorzinho de araque”, depois da sua visível fala rancorosa e separatista aos brasileiros. Como aluno que sou, dou nota “zero” para professores com esse pensamento. Um outro candidato eliminado no primeiro turno, presente e também professor, abrilhantava aquele clima de velório sem falecido. O ausente vivo cumpre pena em cárcere fechado. Senhores e senhoras, que eleição é essa. Parece que não acabou, ignora-se que nova eleição haverá daqui a quatro anos. É preciso repensar erros, corrigir e retornar de cabeça erguida ao próximo pleito. Os EUA já deram um grande exemplo quando da eleição do Obama e isso não representa nada?!. A persistir esse clima de revanchismo inoportuno ocasionado por maus perdedores, o nosso amado país se desmanchará, e isso é péssimo para todos, infelizmente. Se a redução do índice de criminalidade por motivos torpes reduz, urge a necessidade dos meios políticos de fazerem as suas partes e agirem dentro da legalidade, pois só assim alcançaremos o tão sonhado “status” de primeiro mundo.

E assim termina a eleição do fim do mundo, ou terceiro mundo, como queira-se. O resultado como esperado, não desmentiu desta vez, as pesquisas de opiniões feitas por diversas fontes conhecidas. O pronunciamento do candidato eleito foi notável no sentido de unificar, pacificar e atender aos anseios de todos os brasileiros, igualmente, sem aquela história do nós e eles. Aliás, nem deveria ser diferente, pois um presidente tem de governar para todos igualmente, vencedores e vencidos. Uma resolução da ONU trata desse assunto bem elucidado. Na fala do candidato eleito, direto de sua residência, uma presença indispensável não foi vista nas imagens televisivas: o vice Hamilton Mourão ao lado do presidente eleito, posso até estar enganado. Pelo lado do candidato vencido, a vice-candidata se destacava aos beijos com uma criança no colo, deveria ter feito isso durante a campanha para desmistificar a sua imagem depreciada por opositores. O candidato derrotado infelizmente continua em sua pré-potência desnecessária. Pela provocação cometida ao eleito, ao chama-lo de “soldadinho de araque”, bem que merecia também ser chamado de “professorzinho de araque”, depois da sua visível fala rancorosa e separatista aos brasileiros. Como aluno que sou, dou nota “zero” para professores com esse pensamento. Um outro candidato eliminado no primeiro turno, presente e também professor, abrilhantava aquele clima de velório sem falecido. O ausente vivo cumpre pena em cárcere fechado. Senhores e senhoras, que eleição é essa. Parece que não acabou, ignora-se que nova eleição haverá daqui a quatro anos. É preciso repensar erros, corrigir e retornar de cabeça erguida ao próximo pleito. Os EUA já deram um grande exemplo quando da eleição do Obama e isso não representa nada?!. A persistir esse clima de revanchismo inoportuno ocasionado por maus perdedores, o nosso amado país se desmanchará, e isso é péssimo para todos, infelizmente. Se a redução do índice de criminalidade por motivos torpes reduz, urge a necessidade dos meios políticos de fazerem as suas partes e agirem dentro da legalidade, pois só assim alcançaremos o tão sonhado “status” de primeiro mundo.
Visitantes - Leonardo Jorge Oliveira da Silva em Sábado, 27 Outubro 2018 08:55

Parabéns Maj Pierre! Excelente para esclarecer a importância do trabalho ininterrupto das Forças Armadas e Segurança Pública.

Parabéns Maj Pierre! Excelente para esclarecer a importância do trabalho ininterrupto das Forças Armadas e Segurança Pública.
Visitantes - omir jorge muniz em Sexta, 26 Outubro 2018 19:24

Olá, fico feliz com a interação com pessoal da reserva. Gostaria de saber se posso enviar trabalho realizado na comunidade e também enviar uma homenagem ao meu pai que lutou na segunda guerra.
Grato, abraços.

Olá, fico feliz com a interação com pessoal da reserva. Gostaria de saber se posso enviar trabalho realizado na comunidade e também enviar uma homenagem ao meu pai que lutou na segunda guerra. Grato, abraços.
Visitantes
Domingo, 18 Novembro 2018