Precisamos aprender a ser brasileiros como eles

Tive o privilégio de ser convidada pela Força Aérea Brasileira e pelo Exército Brasileiro para uma visita institucional de três dias à Amazônia, com membros do Poder Judiciário e órgãos essenciais à Justiça. Volto maravilhada!

Mas o meu deslumbramento não decorre das belezas naturais da região, incontáveis e vistas por muitos por meio de fotografias, filmagens e até mesmo visitas àquela área. O que me encantou foi a superação das dificuldades, a dedicação de homens e mulheres militares, os serviços prestados à Nação brasileira, ao povo humilde, carente e sofrido.

Chegar à região conhecida como “Cabeça do Cachorro”, próxima à divisa do Brasil com a Venezuela (se olharmos no mapa do Brasil, a divisa faz um desenho parecido com uma cabeça de cachorro), numa base militar chamada Maturacá, somente foi possível pela ajuda da Força Aérea. Lá se encontra instalado o 5º Pelotão Especial de Fronteira (PEF), isolado de tudo e de todos por causa da Floresta Amazônica. Porém, por mais distante que esteja do chamado “mundo civilizado”, o povo que lá reside, os Yanomamis, não estão esquecidos. O Exército zela por eles e lhes provê educação, saúde, cidadania e uma sensação de pertencimento.

Em contrapartida, os tuxauas (chefes de tribos) ajudam na preservação e no patrulhamento do território.

A interação e o carinho entre o Coronel no comando do 5º PEF e o Cacique Antônio, o respeito e a consideração entre os oficiais e os demais tuxauas e a preocupação em atender às necessidades da população indígena da região (cerca de 23 etnias), tudo isso traz imensa emoção, porque ilustra o verdadeiro significado da palavra “servir”.

É o que o militar faz. SERVE.

Para que as Forças Armadas estejam na fronteira, tudo se inicia com o sacrifício de deixar, por um longo período de tempo, a família e o conforto de uma vida em cidade, para ser alocado em um lugar remoto e rústico. Em seguida, vem o treinamento árduo, difícil e rigoroso e as incontáveis missões.

Mas ao olhar cada um deles, ou ouvir se expressarem, chega-se a apenas a esta conclusão: o sacrifício decorre da certeza de que o que importa é o País e suas necessidades e que vale a pena passar por todas as vicissitudes em prol da nação e de seu povo.

O orgulho de ser um cidadão, um brasileiro, se sobrepõe e sombreia as dificuldades e justifica a luta diária em prol de um bem maior: a soberania.

Não se pode esquecer, também, de mencionar o bem que as Forças Armadas trazem à população residente nas proximidades de uma base militar. É mais uma prova da aplicação do lema “servir”. Com os militares vem acesso à saúde, resgate e salvamento, educação, desenvolvimento e infraestrutura.

E então eu me deparo com a “Oração do Guerreiro da Selva”, que em seus versos pede ao Altíssimo, “a sobriedade para persistir, a paciência para emboscar, a perseverança para sobreviver, a astúcia para dissimular, a fé para resistir e vencer”.

Tenho os olhos marejados de lágrimas com o canto do guerreiro que, em face da morte e na hora da dor, se fortalece na coesão da tropa; com o desprendimento do soldado; com a prontidão de sacrificar a própria vida em benefício da pátria; e com sua sinceridade e entrega ao cantar vigorosamente o Hino Nacional, declarando o comprometimento com a luta pelo País e o destemor da morte, se assim for preciso.

Tudo isso traz a reflexão o fato de que as Forças Armadas exercem um papel primordial para o País e que seu exemplo deve ser seguido por todos nós cidadãos brasileiros, pois nas forças militares exercita-se e vivencia-se o verdadeiro patriotismo.

E, assim, com humildade e gratidão imensa pela oportunidade de testemunhar a grandiosidade do serviço militar, peço licença para honrar as Forças Armadas com o brado do guerreiro: SELVA!!!

A nossa Amazônia
Aconteceu e não muda mais...

Posts Relacionados

 

Comentários 12

Visitantes - Roberto carlos de arruda em Domingo, 15 Setembro 2019 14:42

Dra Luciana. Sou oficial de justica do TJMG. Achei a materia muito interessa te. Gostaria de conhecer um pouco mais de nosso exército. Sempre tive vontade de servir. No Judiciário tenho sempre uma postura diferenciada porque estudei no regime militar e aprendi muitas regras e posturas que hoje estão em extinçao, mas acredito que vamos recuperar os bons costumes que outrora nos fora ensinado. Parabéns pela materia.

Dra Luciana. Sou oficial de justica do TJMG. Achei a materia muito interessa te. Gostaria de conhecer um pouco mais de nosso exército. Sempre tive vontade de servir. No Judiciário tenho sempre uma postura diferenciada porque estudei no regime militar e aprendi muitas regras e posturas que hoje estão em extinçao, mas acredito que vamos recuperar os bons costumes que outrora nos fora ensinado. Parabéns pela materia.
Visitantes - Jordan Freitas De Moura em Segunda, 02 Setembro 2019 18:37

Realmente nosso Exército Brasileiro mostra durante a história que o povo brasileiro pode confiar nesta instituição que é a última e primeira fronteira de estabilidade da nação, pudemos ver numa época recente o papel extraordinário para nós desempenhado pelo Companheiro e General Vilas Boas assumindo indiretamente o País diante de um quase total falta de juízo nacional, e isso foi feito por um Comandante das Forças Armadas, Brilhante Mestre, muito obrigado.

Realmente nosso Exército Brasileiro mostra durante a história que o povo brasileiro pode confiar nesta instituição que é a última e primeira fronteira de estabilidade da nação, pudemos ver numa época recente o papel extraordinário para nós desempenhado pelo Companheiro e General Vilas Boas assumindo indiretamente o País diante de um quase total falta de juízo nacional, e isso foi feito por um Comandante das Forças Armadas, Brilhante Mestre, muito obrigado.
Visitantes - Orlando Soares de Mesquita Filho em Segunda, 02 Setembro 2019 15:25

Parabéns Dra Luciana, por trazer aos brasileiros a realidade do nosso zelo pela Amazônia.

Parabéns Dra Luciana, por trazer aos brasileiros a realidade do nosso zelo pela Amazônia.
Visitantes - Gilmar Luiz Colombelli em Segunda, 02 Setembro 2019 11:08

Parabéns Dra. Luciana!
Certamente temos muitos "Brasis" que muitos brasileiros não conhecem e que as forças armadas, particularmente o Exército, atende com maestria as necessidades destes, muitas vezes esquecidos pelo povo brasileiro e por várias instituições!!

Parabéns Dra. Luciana! Certamente temos muitos "Brasis" que muitos brasileiros não conhecem e que as forças armadas, particularmente o Exército, atende com maestria as necessidades destes, muitas vezes esquecidos pelo povo brasileiro e por várias instituições!!
Visitantes - Paulo Braga em Segunda, 02 Setembro 2019 04:27

Todo brasileiro deve ler e ver a história desses bravos

Todo brasileiro deve ler e ver a história desses bravos
Visitantes
Domingo, 17 Novembro 2019