O Ten Cel Cav Luciano Hickert, do Exército Brasileiro, serve, atualmente, no Cmdo da 6ª Divisão de Exército. Possui, entre outros cursos e estágios da carreira: Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (ESAO), Escuela de Las Armas (EDA), na República Argentina e foi instrutor na Escuela de Cadetes José Maria Córdoba, em Bogotá, Colômbia. É formado em Direito pela UFRGS.

“Soldado Aprendiz”: o Exército Brasileiro como indutor da cidadania

No ano de 2019, a advogada brasileira Sandra Sabo de Oliveira defendeu em sua tese de doutorado sobre políticas públicas, na Universidade de Coimbra, Portugal, um programa acerca da empregabilidade de jovens egressos do serviço militar brasileiro. Após a comparação entre a qualificação ministrada aos militares incorporados para o serviço obrigatório e a dos cursos técnicos profissionalizantes civis, a doutora verificou a possibilidade de aproveitamento dos ensinamentos ministrados aos soldados para a qualificação de jovens no mercado de trabalho do País.

Continuar lendo
  1148 Acessos
  2 comentários
Comentários Recentes
Visitantes — Maj De Alencar
Parabéns pelo artigo de divulgação dessa excelente iniciativa da Força
Terça, 07 Dezembro 2021 06:03
Visitantes — Auro Ferreira Koch
Parabéns Exército Brasileiro
Segunda, 06 Dezembro 2021 08:19
1148 Acessos
2 comentários

Operação Vacinação: enfrentando novos desafios

A Operação Vacinação iniciou-se em janeiro de 2021, com a finalidade de apoiar a rede de saúde dos entes federados, complementando suas capacidades de estabelecer postos de vacinação para a população brasileira em face da pandemia de covid-19. Tem por objetivo acelerar a retomada do estado de normalidade no Brasil, visando à recuperação sanitária e econômica no mais curto prazo e priorizando os princípios militares da legalidade e prontidão.

Continuar lendo
  1878 Acessos
  0 comentários
1878 Acessos
0 comentários

Biomonitoramento: possibilidades e perigos

Os meios de controle de saúde da população brasileira têm evoluído muito nos últimos anos. A implementação de um sistema interligado para o monitoramento de doenças endêmicas oferece grande oportunidade de melhoria do mapeamento das doenças. O emprego da base de dados do Sistema Único de Saúde (SUS) para monitorar o aparecimento de casos e o crescimento de moléstias como dengue, leishmaniose e COVID-19 segue uma tendência mundial e se amplia ano após ano.

Continuar lendo
  1207 Acessos
  1 comentário
Comentários Recentes neste post
Visitantes — Cel Med Albino José da Cruz Rendeiro
Excelente análise sobre o patamar atual da biovigilância. Realmente é um tema que merece ser muito discutido e tratado como um gra... Leia Mais
Domingo, 10 Janeiro 2021 01:25
1207 Acessos
1 comentário