Atualmente, o Tenente-Coronel de Cavalaria Daniel Aguiar é aluno do Korean Defense Language Institute (Coreia do Sul, 2019). Anteriormente, foi Instrutor da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (Rio de Janeiro, 2018) e Comandante do 10º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado (Recife, 2014-2015). Junto às Nações Unidas, desempenhou as funções de ...Observador Militar (Sudão, 2011) e de Oficial de Treinamento/Proteção de Civis (Sudão do Sul, 2012). Ademais, é Doutor em Ciências Militares pelo Instituto Meira Mattos/ECEME (Rio de Janeiro, 2016-2018). Mais

O século XXI e a arte da guerra: a defesa da coesão nacional

Este artigo trata da evolução do cenário mundial pós-Guerra Fria e da sua influência na ‘arte da guerra’, evidenciando o potencial da ‘guerra híbrida’ para a erosão da coesão nacional. Parte-se da premissa de que a política é a ferramenta que dirige o poder no Estado, no intuito de atingir os interesses nacionais, tendo a guerra como instrumento de contingência para o uso legítimo da força. Contudo, o uso da força não se restringe à violência física, podendo alcançar a violência econômica, psicológica, diplomática, etc. (Clausewitz, 1976; Bobbio, 1987).

Continuar lendo
  2325 Acessos
  3 comentários
2325 Acessos
3 comentários

O Exército e a Escola da Guerra no século XXI: o legado de Castello Branco e de Meira Mattos

No atual processo de transformação do Exército Brasileiro (EB), o "Plano Estratégico do Exército (2016-2019)" prevê que a Força, até 2022, alcançará uma "nova doutrina", empregando produtos de defesa ...
Continuar lendo
  1465 Acessos
  3 comentários
1465 Acessos
3 comentários

O legado da participação do Exército Brasileiro na MINUSTAH e a evolução da Doutrina Militar

O complexo cenário contemporâneo evidencia a necessidade de uma Força Terrestre (F Ter) capaz de enfrentar ameaças difusas e condicionantes, como o enfrentamento de forças irregulares robustas, a atua...
Continuar lendo
  2990 Acessos
  6 comentários
2990 Acessos
6 comentários