Doutor em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército e em Política e Estratégia Marítimas pela Escola de Guerra Naval. Especialista em Direito Internacional dos Conflitos Armados pela Universidade de Brasília. Cursou aperfeiçoamento em emprego tático de Infantaria no Exército dos Estados Unidos e integrou o contingente brasileiro da missão de paz da ONU em Angola. Foi instrutor e assessor militar junto à Academia Militar de West Point (EUA) e comandou o Batalhão da Guarda Presidencial. É professor-tutor da Escola Superior de Guerra e revisor, para o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, dos Comentários à III Convenção de Genebra de 1949, que versa sobre prisioneiros de guerra. Autor da obra “Direito Internacional Humanitário: ética e legitimidade no uso da força em conflitos armados”, publicado pela Editora Juruá. Em 2018, durante a Intervenção Federal na Segurança Pública do Rio de Janeiro, foi Porta-Voz do Gabinete de Intervenção Federal e do Comando Conjunto das Operações de Garantia da Lei e da Ordem, tendo em seguida exercido o cargo de Chefe da Comunicação Social e Porta-Voz do Comando Militar do Leste (RJ). Em 2019 foi Chefe do Estado-Maior Conjunto da Força-Tarefa Logística Humanitária (Operação Acolhida), Boa Vista (RR), e atualmente é o Chefe da Agência Verde-Oliva, no Centro de Comunicação Social do Exército (Brasília-DF).

Guerras, pandemias e o engodo da invisibilidade

“Quando empregada, uma força militar tem apenas dois efeitos imediatos: matar pessoas e destruir coisas. Se essas mortes e destruições servirão ou não para atingir o propósito global ou político que se pretendia que a força atingisse, isso depende da escolha de alvos ou objetivos, todos dentro do contexto mais amplo da operação. Essa é a verdadeira medida de sua utilidade”.

Continuar lendo
  2029 Acessos
  6 comentários
Comentários Recentes
Visitantes — Arthur Fernandes
Excelente texto. Cel. Cinelli deveria coordenar um grupo de pesquisa em assuntos internacionais no CNPQ.
Quarta, 11 Novembro 2020 16:59
Visitantes — Ricardo Sousa Dos Santos
Muito bom conteúdo, e continuem com essa missão, OBS: Bem que o EB poderia desenvolver um APP para o público, com cursos instruin... Leia Mais
Segunda, 09 Novembro 2020 00:23
Visitantes — antonio flavio campeotti lauffer
A grande mídia, em especial os meios televisivos, certamente nosso maior INIMIGO, os néscios, lacaios lesa pátria, dotados de gran... Leia Mais
Sexta, 06 Novembro 2020 13:58
2029 Acessos
6 comentários

Redes sociais no Exército: normatizando para permitir

Na batalha entre percepção e realidade, a percepção sempre vence”. (Steven Fink)

O Comando do Exército publicou recentemente uma Portaria destinada a orientar a criação e o gerenciamento das mídias sociais no âmbito da Força. A iniciativa ganhou relevância, sobretudo porque virou notícia, repercutindo em diversos veículos de comunicação de forma positiva.

Continuar lendo
  7709 Acessos
  7 comentários
Comentários Recentes
Visitantes — Lutero Gouvea
Eu conheci o pai do Cel Cinelli que foi comandante do 1o Batalhao de Engenharia Escola. Tenho amigo que foi contemporâneo de Ama... Leia Mais
Sexta, 29 Novembro 2019 11:22
Visitantes — Carlos Cinelli
Caro amigo, sou da turma de 1991 da AMAN, atualmente Coronel, Chefe do Estado-Maior da Operação Acolhida, em Roraima. O Coronel Ci... Leia Mais
Domingo, 12 Janeiro 2020 15:38
Visitantes — Jordan Freitas De Moura
Ao cumprir nossa missão constitucional Fortaleza Espiritual.
Segunda, 02 Setembro 2019 18:31
7709 Acessos
7 comentários

Inteligência eficaz não pressupõe ausência de confronto

“Os espiões são os personagens centrais de uma guerra. Sobre eles repousa a capacidade de movimentação de um exército” (SUN TZU).

A literatura e o cinema ajudaram a cristalizar a percepção de que a boa inteligência é aquela que se baseia essencialmente na espionagem. Autores como Tom Clancy, Ian Fleming e Frederick Forsyth eternizaram personagens dotados de múltiplas qualidades, requeridas tanto para trabalhos de campo quanto para análise de informações. No mundo real, sabemos que isso raramente funciona. Bons analistas são dotados de atributos cognitivos que não têm a ver com a arriscada tarefa de garimpar dados brutos cuja qualidade é diretamente proporcional à periculosidade do ambiente em que estão diluídos. É o trabalho de análise dos dados, por sua vez, que resulta no assessoramento preciso ao tomador de decisão. Mas para que esse auxílio possa existir, é necessário que os fragmentos de informação cheguem ao analista.

Continuar lendo
  10162 Acessos
  14 comentários
Comentários Recentes
Visitantes — Geraldo MM Quadros
O Brasil e a politica do Governantes atuais no processo de Democracia a Segurança Nacional. Vale lembra que diante do processo p... Leia Mais
Quinta, 22 Novembro 2018 00:32
Visitantes — José Marcos de Almeida Neves
Perfeita e realista a abordagem apresentada pelo Cel Cinelli. Da sabedoria popular: "não se fazem omeletes sem quebrar ovos." Cel ... Leia Mais
Segunda, 05 Novembro 2018 15:06
Visitantes — Nilber José de Souza
Irretocável, de uma clareza a toda prova. Parabéns!
Quarta, 10 Outubro 2018 17:14
10162 Acessos
14 comentários

Comunicando a Intervenção Federal: o paradoxo informacional da confiabilidade verde-oliva

As características da Intervenção Federal na Segurança Pública do Rio de Janeiro – setorial, consentida e com cargo de titularidade de um militar da ativa – representaram um ineditismo não apenas polí...
Continuar lendo
  3314 Acessos
  7 comentários
Comentários Recentes
Visitantes — Martins
Os “intoGáveis”. Estreia hoje em todo o território nacional. Episódio de hoje – Mostra a tua cara de pau Brasil. Estrelando. A al... Leia Mais
Terça, 26 Junho 2018 09:50
Visitantes — Martins
Intervenção federal e a corte mais alta de justiça deste país não estão afinadas com o mesmo diapasão!? alguém está atravessando ... Leia Mais
Quarta, 20 Junho 2018 22:21
Visitantes — Newton
A atuação das Forças Armadas nesse episódio do Rio é meramente politiqueira e serviu para enterrar temporariamente a combalida "Re... Leia Mais
Quinta, 14 Junho 2018 17:46
3314 Acessos
7 comentários

Que guerra é essa? Ou melhor... Que civil é esse?

A depender das repetidas ocasiões em que os porta-vozes do Exército – e o próprio Comandante – argumentam que o emprego da tropa em operações de garantia da lei e da ordem (GLO) é constitucional, pode...
Continuar lendo
  5688 Acessos
  12 comentários
Comentários Recentes
Visitantes — luiz das paineiras pqdt
caro amigo coronel cinele moro proximo ao bairro adriana na estrada da posse apos a vila kenedy na estr. professor daltro santos ... Leia Mais
Segunda, 19 Março 2018 11:38
Visitantes — Carlos Cinelli
Grande, Luiz. Muito bom falar com você. Forte abraço!!
Terça, 17 Abril 2018 16:27
Visitantes — Cavalcanti
Exército Brasileiro, a intervenção é urgente O Crime Organizado ou não, tomou conta das cidades, esses dias em um ônibus público,... Leia Mais
Domingo, 31 Dezembro 2017 09:12
5688 Acessos
12 comentários