Esquizofrenia social

​A transição atual é prolífica em extravagâncias que espelham interesses de todo o tipo, ensejando uma agenda surpreendente. A proposta de trocar o sistema presidencialista pelo parlamentarista, porém, é tema recorrente. Os políticos costumam culpar o presidencialismo dito de coalizão ou o semiparlamentarismo de tornar o Poder Executivo refém do Legislativo. Marotamente, omitem a causa da desarmonia: o parlamentar em função executiva.

Pelo certo, o senador ou o deputado, ao aceitarem cargo no Executivo, deveriam perder o mandato legislativo, em favor do princípio da independência dos poderes. Da mesma forma, esses políticos fingem esquecer que a soberania popular, fonte de todo o poder, escolheu o presidencialismo puro em dois plebiscitos recentes. Além disso, a proposta é inoportuna. Uma reforma que delega mais autoridade ao estamento político, no momento mais crítico de sua credibilidade, é insensatez.

Outra preocupação relevante é a violência urbana. Embora seja notória a crise geral de segurança pública, o tema não consegue espaço na agenda legislativa. A redoma psicológica em que se abrigam os legisladores no Congresso parece torná-los insensíveis ao sofrimento refletido no índice macabro de 60 mil homicídios ao ano, que supera o total de baixas somadas na Síria e no Afeganistão. A realidade social mostra que os códigos vigentes no País estão defasados. Uma explicação para o imobilismo seria a alienação ideológica.

Contudo, o distúrbio da insensibilidade não se restringe ao âmbito legislativo. A crise econômica e o desemprego de 14 milhões de pessoas não chegam a comover as corporações dos poderes públicos, responsáveis pela expansão de supersalários, que transcendem os limites legais. Sobre fenômeno similar, escreveu Alexis de Tocqueville, em "O Antigo Regime e a Revolução", que as teses dos enciclopedistas eram temas da moda entre os nobres da França no século XVIII, durante os convescotes de Paris e os saraus da Corte de Versailles, como se não lhes afetassem a própria sobrevivência. Mais do que anomalia emocional ou moral, seria um sintoma de esquizofrenia social.
Outro aspecto contumaz da agenda subliminar é a chamada "teoria do gênero". Inventada na Europa por pensadoras feministas, pretende alterar as leis da natureza, ao derrogar os sexos, como se o homem e a mulher fossem espécies diferentes dentro do gênero humano. O que surpreende é a assimilação do conceito pela grande mídia, que vem conseguindo inculcar tal aberração na sociedade, até alcançar a legislação governamental.

O fato é que o humanismo perdeu o rumo e transpôs os limites razoáveis, ocasionando um ambiente cada vez mais permissivo. O Brasil, por mais de quatro décadas, tem sido vítima de campanhas "construcionistas", que subverteram os valores sociais e desnortearam o senso comum. O bombardeio populista e ideológico, a partir da Constituinte de 1988, consolidou uma cultura de direitos sem deveres e minou o princípio da autoridade. O resultado mostra-se nos indicadores de corrupção, violência e impunidade. Para agravar esse quadro, escasseiam-se as lideranças políticas.

Chegamos, assim, ao limiar da ordem política, econômica, social e jurídica. É hora, portanto, de reação, antes que o faça o instinto de sobrevivência coletivo, potencial criador de cenários escatológicos. A ordem social que repousa em base falsa torna a sociedade suscetível ao presságio bíblico: "Quando vierem as chuvas, subirem os rios, soprarem os ventos e a vierem açoitar, ela ruirá, e grande será a sua ruína" (Mateus, 7:25).

Parabéns, Brasil!
Haiti e a criação do Centro Conjunto de Operações ...
 

Comentários 113

Visitantes - Martins em Segunda, 18 Setembro 2017 12:48

Essa não deu para combinar com os russos !

Conversam um russo e um brasileiro:

RUSSO: Como eu amo a liberdade.
BRASILEIRO: É. Não há nada pior que a ditadura!
RUSSO: Mesmo? Vocês também tiveram ditadura no Brasil?
BRASILEIRO: Ô! E como tivemos! Os militares deram um golpe e tomaram o poder.
RUSSO:Mas como? Fuzilaram o congresso todo?
BRASILEIRO: Não exatamente. Foi o próprio congresso que instituiu.
RUSSO: Mas você não disse que foi um golpe?
BRASILEIRO: Sim.
RUSSO; Não entendi. Mas enfim quantos morreram, pelo menos?
BRASILEIRO: 357 pessoas!
RUSSO: É... para um dia só é bastante.
BRASILEIRO: Não, 357 no total.
RUSSO: No total do que?
BRASILEIRO: Da ditadura!
RUSSO: Peraí, mas foi só uma coisa de uns dias e depois acabou?
BRASILEIRO: Que uns dias nada foram 20 anos de opressão!
RUSSO: E quem foi esse ditador "genocida" que matou 357 pessoas em 20 anos.
BRASILEIRO: Foram 5 ditadores!
RUSSO: De uma vez só?
BRASILEIRO: Não um depois do outro.
RUSSO: Um depondo o outro?
BRASILEIRO: Claro que não! Terminava o mandato e vinha outro.
RUSSO: Tipo presidente?
BRASILEIRO: É...Mas só que não. A gente não podia votar!
RUSSO: Então ao invés de um ditador, vcs tiveram 5 representantes com mandato temporário e que matavam 17 pessoas por ano?
BRASILEIRO: Sim. Mas o povo se levantou e tirou eles de lá!
RUSSO: Ah, no fim depuseram os militares.
BRASILEIRO: ...Pode se dizer que sim. Eles saíram do poder.
RUSSO: Mas tá estranho isso. Eles não controlavam o exército? Como o povo conseguiu isso? Ou eles se armaram tb ou atacaram em grande número. De uma forma ou de outra deve ter sido a maior carnificina.
BRASILEIRO: ...Até que não. Os militares anunciaram eleições democráticas e deixaram o poder.
RUSSO: Deixaram??? como assim? Tipo, por conta própria?
BRASILEIRO: É que o povo no fim já tava meio contra tb...
RUSSO: No fim??? Mas perá! Para sair assim, na boa, só podem ter levado uma fortuna antes! Devem estar tudo ricos hoje!
BRASILEIRO: Humm... Não exatamente.
RUSSO: Cara, eu respeito sua história e tal, mas tá meio difícil de acreditar que vocês tiveram uma ditadura.
BRASILEIRO: Como assim?! A opressão era real! morreram muitos heróis lutando pela nossa liberdade.
RUSSO: Então havia até mesmo uma oposição?
BRASILEIRO: Ah se havia! Eles matavam soldados, sequestravam gente importante, roubavam bancos,plantavam bombas em quartéis.
RUSSO: Que horror! E os revolucionários como combatiam isso?
BRASILEIRO: Não, caramba! Tô falando dos heróis, os revolucionários! Presta atenção!
RUSSO: Tá bom, entendi. Mas esse lance de matar soldado, explodir bomba....Hoje em dia isso não seria terrorismo?
BRASILEIRO: Hum...Talvez. Não sei. Mas na época era justificado. Tinha que derrubar aquele governo cruel.
RUSSO: Mas e roubo a banco, sequestro... Não é crime isso daí também?
BRASILEIRO: É...Talvez... Mas eles tinham que tirar dinheiro de algum lugar pra manter o movimento, né?
RUSSO: Sim, mas do povo?
BRASILEIRO: Não tinha alternativa a União Soviética não estava mais sustentando a revolução como antes...
RUSSO: Opa! um momento! A gente que estava financiando vocês contra os militares?
BRASILEIRO: Sim. Os comunistas soviéticos estavam nos ajudando a derrubar a ditadura e instaurar a democracia no Brasil.
RUSSO: E você acreditou? Pois a nossa ditadura foi comunista! Matou 21 milhões de pessoas, durou 74 anos e deixou o país afundado! Vai se f.....Você nunca conheceu opressão e por isso mesmo não entende o que é LIBERDADE.

Essa não deu para combinar com os russos ! Conversam um russo e um brasileiro: RUSSO: Como eu amo a liberdade. BRASILEIRO: É. Não há nada pior que a ditadura! RUSSO: Mesmo? Vocês também tiveram ditadura no Brasil? BRASILEIRO: Ô! E como tivemos! Os militares deram um golpe e tomaram o poder. RUSSO:Mas como? Fuzilaram o congresso todo? BRASILEIRO: Não exatamente. Foi o próprio congresso que instituiu. RUSSO: Mas você não disse que foi um golpe? BRASILEIRO: Sim. RUSSO; Não entendi. Mas enfim quantos morreram, pelo menos? BRASILEIRO: 357 pessoas! RUSSO: É... para um dia só é bastante. BRASILEIRO: Não, 357 no total. RUSSO: No total do que? BRASILEIRO: Da ditadura! RUSSO: Peraí, mas foi só uma coisa de uns dias e depois acabou? BRASILEIRO: Que uns dias nada foram 20 anos de opressão! RUSSO: E quem foi esse ditador "genocida" que matou 357 pessoas em 20 anos. BRASILEIRO: Foram 5 ditadores! RUSSO: De uma vez só? BRASILEIRO: Não um depois do outro. RUSSO: Um depondo o outro? BRASILEIRO: Claro que não! Terminava o mandato e vinha outro. RUSSO: Tipo presidente? BRASILEIRO: É...Mas só que não. A gente não podia votar! RUSSO: Então ao invés de um ditador, vcs tiveram 5 representantes com mandato temporário e que matavam 17 pessoas por ano? BRASILEIRO: Sim. Mas o povo se levantou e tirou eles de lá! RUSSO: Ah, no fim depuseram os militares. BRASILEIRO: ...Pode se dizer que sim. Eles saíram do poder. RUSSO: Mas tá estranho isso. Eles não controlavam o exército? Como o povo conseguiu isso? Ou eles se armaram tb ou atacaram em grande número. De uma forma ou de outra deve ter sido a maior carnificina. BRASILEIRO: ...Até que não. Os militares anunciaram eleições democráticas e deixaram o poder. RUSSO: Deixaram??? como assim? Tipo, por conta própria? BRASILEIRO: É que o povo no fim já tava meio contra tb... RUSSO: No fim??? Mas perá! Para sair assim, na boa, só podem ter levado uma fortuna antes! Devem estar tudo ricos hoje! BRASILEIRO: Humm... Não exatamente. RUSSO: Cara, eu respeito sua história e tal, mas tá meio difícil de acreditar que vocês tiveram uma ditadura. BRASILEIRO: Como assim?! A opressão era real! morreram muitos heróis lutando pela nossa liberdade. RUSSO: Então havia até mesmo uma oposição? BRASILEIRO: Ah se havia! Eles matavam soldados, sequestravam gente importante, roubavam bancos,plantavam bombas em quartéis. RUSSO: Que horror! E os revolucionários como combatiam isso? BRASILEIRO: Não, caramba! Tô falando dos heróis, os revolucionários! Presta atenção! RUSSO: Tá bom, entendi. Mas esse lance de matar soldado, explodir bomba....Hoje em dia isso não seria terrorismo? BRASILEIRO: Hum...Talvez. Não sei. Mas na época era justificado. Tinha que derrubar aquele governo cruel. RUSSO: Mas e roubo a banco, sequestro... Não é crime isso daí também? BRASILEIRO: É...Talvez... Mas eles tinham que tirar dinheiro de algum lugar pra manter o movimento, né? RUSSO: Sim, mas do povo? BRASILEIRO: Não tinha alternativa a União Soviética não estava mais sustentando a revolução como antes... RUSSO: Opa! um momento! A gente que estava financiando vocês contra os militares? BRASILEIRO: Sim. Os comunistas soviéticos estavam nos ajudando a derrubar a ditadura e instaurar a democracia no Brasil. RUSSO: E você acreditou? Pois a nossa ditadura foi comunista! Matou 21 milhões de pessoas, durou 74 anos e deixou o país afundado! Vai se f.....Você nunca conheceu opressão e por isso mesmo não entende o que é LIBERDADE.
Visitantes - edison em Sábado, 16 Setembro 2017 20:02

Triste a situação do Brasil hoje e pior e olhar um futuro sem muita esperança, esperança essa levada de nos trabalhadores brasileiros cidadãos de bem que ainda somos a maioria nesse país que infelizmente lavado por tamanha corrupção políticos corruptos sujos falando do mal lavado isso aqui não vai arrumar nunca se não passarmos por uma intervenção militar, em nome de todos brasileiros de bem nesse país pedimos socorro a nossa manta protetora nossas Forças Armadas.

Triste a situação do Brasil hoje e pior e olhar um futuro sem muita esperança, esperança essa levada de nos trabalhadores brasileiros cidadãos de bem que ainda somos a maioria nesse país que infelizmente lavado por tamanha corrupção políticos corruptos sujos falando do mal lavado isso aqui não vai arrumar nunca se não passarmos por uma intervenção militar, em nome de todos brasileiros de bem nesse país pedimos socorro a nossa manta protetora nossas Forças Armadas.
Visitantes - Martins em Sexta, 15 Setembro 2017 23:31

Mais ponte! E que ponte. 13,8 km de extensão mar a dentro. Nem chega perto as dificuldades de logísticas de uma ponte de 1,7 km em um rio. Agora o preço....é uma vergonha. e com certeza ao final será 5 vezes maior se for executada essa obra.
-
238 milhões de cruzeiros e causou impacto. Hoje isso representa dinheiro de farra dessa corrupção maldita.
O governo Costa e Silva escolheu o consórcio formado por Construtora Ferraz Cavalcanti, Construtora Brasileira de Estradas, Empresa de Melhoramentos e Construções S.A., Servix Engenharia S.A. para ser o responsável pela construção da ponte. As empresas cobraram o governo Costa e Silva escolheu o consórcio formado por Construtora Ferraz Cavalcanti, Construtora Brasileira de Estradas, Empresa de Melhoramentos e Construções S.A., Servix Engenharia S.A. para ser o responsável pela construção da ponte. As empresas cobraram 238 milhões de cruzeiros para entregar a obra em três anos, com multa de 0,03% sobre o custo por dia de atraso. Segundo a Veja que foi às bancas no dia 8 de março de 1974, a obra “sugou dinheiro como nenhuma outra do Ministério dos Transportes”.para entregar a obra em três anos, com multa de 0,03% sobre o custo por dia de atraso. Segundo a Veja que foi às bancas no dia 8 de março de 1974, a obra “sugou dinheiro como nenhuma outra do Ministério dos Transportes”.

Mais ponte! E que ponte. 13,8 km de extensão mar a dentro. Nem chega perto as dificuldades de logísticas de uma ponte de 1,7 km em um rio. Agora o preço....é uma vergonha. e com certeza ao final será 5 vezes maior se for executada essa obra. - 238 milhões de cruzeiros e causou impacto. Hoje isso representa dinheiro de farra dessa corrupção maldita. O governo Costa e Silva escolheu o consórcio formado por Construtora Ferraz Cavalcanti, Construtora Brasileira de Estradas, Empresa de Melhoramentos e Construções S.A., Servix Engenharia S.A. para ser o responsável pela construção da ponte. As empresas cobraram o governo Costa e Silva escolheu o consórcio formado por Construtora Ferraz Cavalcanti, Construtora Brasileira de Estradas, Empresa de Melhoramentos e Construções S.A., Servix Engenharia S.A. para ser o responsável pela construção da ponte. As empresas cobraram 238 milhões de cruzeiros para entregar a obra em três anos, com multa de 0,03% sobre o custo por dia de atraso. Segundo a Veja que foi às bancas no dia 8 de março de 1974, a obra “sugou dinheiro como nenhuma outra do Ministério dos Transportes”.para entregar a obra em três anos, com multa de 0,03% sobre o custo por dia de atraso. Segundo a Veja que foi às bancas no dia 8 de março de 1974, a obra “sugou dinheiro como nenhuma outra do Ministério dos Transportes”.
Visitantes - Martins em Sexta, 15 Setembro 2017 23:05

“Tá todo mundo louco, oba”! Pode até estar, mas burro nem todo mundo está! Existe até uma piada muito antiga daquele motorista que entrou numa curva com o seu carro em alta velocidade e uma das rodas se soltou ao perder os quatro parafusos de fixação lá para trás. Desolado que ficou o motorista, de repente ele ouve uma voz vinda de dentro de um local cercado por grade. O sujeito diz a ele: ei, tira um parafuso de cada roda presa restante e coloca os três na roda que se soltou e rode até onde possa comprar os parafusos faltantes. O motorista gostou da ideia e assim o fez. Ao olhar o local em que estava aquele indivíduo, um hospício, ele pasmou e perguntou ao interno que lhe havia dado aquela ideia: como você foi capaz de me ensinar isso se você é um louco? A resposta foi imediata: “Eu sou louco, mas não sou burro”. Vamos então ao que interessa. O presidente Temer anunciou a ordem de serviço para a construção de uma ponte sobre o rio Araguaia de 1,7 km de extensão, ao preço de 132 milhões de reais. Sabe o que isso significa? Significa que quase a metade do valor dessa mega construção estava lá naquele apartamento daquele “chorão” inveterado: 51 milhões. Certamente que é de causar espanto até ao batalhão de engenharia do exército, tão “expert” em construção de pontes. Creio que nessa história não existe nem louco e muito menos burro, existe mesmo é um mentiroso fazendo hora com a cara de quem nem sabe que país é este! Que me desculpem os nativos dos estados do Pará e do Tocantins, esse filme, nós e todos os irmãos de outros estados, estamos carecas de assistir.

“Tá todo mundo louco, oba”! Pode até estar, mas burro nem todo mundo está! Existe até uma piada muito antiga daquele motorista que entrou numa curva com o seu carro em alta velocidade e uma das rodas se soltou ao perder os quatro parafusos de fixação lá para trás. Desolado que ficou o motorista, de repente ele ouve uma voz vinda de dentro de um local cercado por grade. O sujeito diz a ele: ei, tira um parafuso de cada roda presa restante e coloca os três na roda que se soltou e rode até onde possa comprar os parafusos faltantes. O motorista gostou da ideia e assim o fez. Ao olhar o local em que estava aquele indivíduo, um hospício, ele pasmou e perguntou ao interno que lhe havia dado aquela ideia: como você foi capaz de me ensinar isso se você é um louco? A resposta foi imediata: “Eu sou louco, mas não sou burro”. Vamos então ao que interessa. O presidente Temer anunciou a ordem de serviço para a construção de uma ponte sobre o rio Araguaia de 1,7 km de extensão, ao preço de 132 milhões de reais. Sabe o que isso significa? Significa que quase a metade do valor dessa mega construção estava lá naquele apartamento daquele “chorão” inveterado: 51 milhões. Certamente que é de causar espanto até ao batalhão de engenharia do exército, tão “expert” em construção de pontes. Creio que nessa história não existe nem louco e muito menos burro, existe mesmo é um mentiroso fazendo hora com a cara de quem nem sabe que país é este! Que me desculpem os nativos dos estados do Pará e do Tocantins, esse filme, nós e todos os irmãos de outros estados, estamos carecas de assistir.
Visitantes - Martins em Quinta, 14 Setembro 2017 11:22

A ficha caiu ?!
Seriado se adequará á realidade dos anos no regime civil.
'OS DIAS ERAM ASSIM' ('OS DIAS ErrAM ASSIM')
Novela protestará contra o governo.
"Os Dias Eram Assim" terá um protesto contra o presidente Michel Temer no último capítulo, que vai ao ar na segunda. Depois de resolvidas as tramas, a novela dará um salto no tempo e mostrará os protagonistas Renato (Renato Góes) e Alice (Sophie Charlotte) envelhecidos, nos dias atuais, em uma manifestação contra o governo. No protesto, os personagens pedirão eleições gerais já e dirão que os tempos de hoje parecem os de antes.
- CHEGA A SER ATÉ PIADA!
O país falido, sem nenhuma perspectiva de crescimento nem mesmo a longo prazo e ainda bancando altos custos aos cofres públicos com disputas judiciais de corruptos mais do que identificáveis. No Brasil inteiro só se fala em corrupção. Quando será o fim dessa novela em tempo real ?

A ficha caiu ?! Seriado se adequará á realidade dos anos no regime civil. 'OS DIAS ERAM ASSIM' ('OS DIAS ErrAM ASSIM') Novela protestará contra o governo. "Os Dias Eram Assim" terá um protesto contra o presidente Michel Temer no último capítulo, que vai ao ar na segunda. Depois de resolvidas as tramas, a novela dará um salto no tempo e mostrará os protagonistas Renato (Renato Góes) e Alice (Sophie Charlotte) envelhecidos, nos dias atuais, em uma manifestação contra o governo. No protesto, os personagens pedirão eleições gerais já e dirão que os tempos de hoje parecem os de antes. - CHEGA A SER ATÉ PIADA! O país falido, sem nenhuma perspectiva de crescimento nem mesmo a longo prazo e ainda bancando altos custos aos cofres públicos com disputas judiciais de corruptos mais do que identificáveis. No Brasil inteiro só se fala em corrupção. Quando será o fim dessa novela em tempo real ?
Visitantes
Quinta, 24 Setembro 2020